23 abril, 2013

PARA MEDITAR...


A via para a comunhão com Deus




Não há dúvida para qualquer um de nós, cristãos que amam o Senhor, 
de que não há nada mais superior do que ter a Sua presença em 
nosso viver diário. Orar de manhã cedo, ou ao final do dia, ou até 
mesmpo no decorrer do dia (Ef 6:18) e sentir o próprio Senhor orando
em nós; louvá-lO com hinos e ouvir a Sua voz. Muitos de nós, contudo,
temos a experiência de nos aproximarmos de Deus 
 
baseados em nossos próprios méritos. Por exemplo, fundando-me no fato de ter sido 
particularmente amável ou paciente durante o dia, ou de ter feito qualquer coisa pelo Senhor 
nesta manhã. O resultado, muitas vezes é que quando não nos sentimos adequados diante de Deus, 
há uma enorme separação entre entre Ele e nós. É uma situação terrível em que a consciência nos 
acusa.

Contudo, amados irmãos, uma consciência pura não está nunca baseada sobre uma vitória que 
tenhamos conseguido; ela só pode ser estabelecida sobre a obra que o Senhor Jesus cumpriu na cruz
vertendo o Seu sangue. Em Hb 10:19-22 mostra que "Tendo, pois irmãos, intrepidez para entrar no 
Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus [...] tendo coração purificado de má consciência...". Amados
irmãos, o que significa isto? significa que um obstáculo foi introduzido entre eu e Deus, criando em mim 
uma má consciência que me adverte a cada vez que tento me aproximar  dEle. Ela me lembra 
constantemente a barreira que foi criada entre Ele e eu. Porém agora, a obra do sangue precioso 
eliminou aquela barreira, e Deus me fez conhecer este fato mediante a Sua palavra.

Portanto, queridos irmãos, devo me aproximar de Deus sempre pela via do sangue de Seu Filho! Se o
nosso dia foi bom ou ruim, se pecamos ou não, o fundamento sobre o qual nos aproximamos de Deus 
é o mesmo: o sangue de Cristo. O fato de este sangue ser agradável a Deus permanece a única 
base sobre a qual entramos em Sua presença; não existem outras. Que nosso viver seja livre de 
acusações e também de esforços próprios para agradar ao Senhor, quando pelo sangue de Jesus, 
podemos trilhar um novo e vivo caminho em nosso viver diário. Jesus é o Senhor!


Acesse o Artigo Original: www.igrejaemfabriciano.com.br

26 março, 2013

JOVENS

Contente em toda e qualquer situação
 
 
A resposta de tudo o que procuramos - eu disse TUDO - está em Deus.

Contente em toda e qualquer situação
Isso é possível, por mais difícil que possa parecerComo é bom visualizar a bondade e o cuidado de Deus conosco! É verdade que em meio às adversidades se torna mais difícil ter esse entendimento. Estamos tão ocupados com nossos afazeres, agitados, ansiosos por respostas e atitudes. Ficamos tão focados em nossos problemas, na constante busca de soluções, que nos esquecemos de fazer como Maria, irmã de Marta e Lázaro, e escolher a boa parte que é se sentar aos pés de Jesus para ouvi-lo e aprender dele que é manso e humilde de espírito. Se acaso você não conhece essa bela lição, leia Lucas 10.38-42. Percebo, dia após dia, que o nosso desafio em pleno século XXI é o de nos encontrarmos sempre contentes no Senhor. Onde estão os nossos louvores, onde está a nossa gratidão, nossa convicção de que a luta está ganha por Jesus Cristo?

Conversando com uma amiga sobre as dificuldades que enfrentamos ao longo de nossa caminhada como cristãos, chegamos ao exemplo e nas palavras do apóstolo Paulo. Minha colega relatou sobre uma frase muito conhecida e que muita gente nem sabe que está na Bíblia: "tudo posso naquele que me fortalece". Na verdade, este é um versículo que está em Filipenses 4.13. . Chegamos a conclusão de que muitas pessoas, inclusive nós mesmas, já utilizamos estas palavras como fonte de força, pensando até que esta força estivesse em nós, no nosso braço, na nossa inteligência ou na nossa mente. A palavra de Deus liberta! Aleluia! Não devemos nos contentar em saber um versículo isolado! Precisamos compreender o contexto dele e trazê-lo para a aplicação nos dias de hoje.
"Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundândia como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece". (Fp 4.11-13.) Quantas vezes sentimos nossa alma se abater dentro de nós em busca de esperança? A Bíblia diz que Cristo em nós é a esperança da glória! Mas como estar contente em todo tempo, em meio às lutas e dores? Em meio às traições, decepções e rompimentos? Por que vivemos essa constante busca por alegria, felicidade?

A resposta de tudo o que procuramos - eu disse TUDO - está em Deus. Se lermos Filipenses 4.10-13 entenderemos que ser contente está muito além de um bom salário, um bom emprego, uma boa formação acadêmica, um bom e famoso ministério, uma igreja cheia, uma família feliz, a cura de uma enfermidade ou uma boa viagem de férias. O apóstolo Paulo diz no versículo 11 que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação. No versículo seguinte ele descreve alguns dos males que sofreu ao longo de sua vida como ministro do evangelho. Ah, que convicção! "Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação". Paulo visualizava o porvir! A obra de Cristo na cruz não foi em vão! Meus irmãos, Jesus Cristo morreu pelo meu e pelo seu pecado! Ele venceu todas as lutas e dores. E nós que o confessamos como Senhor e Salvador, nós que um dia escolhemos fazer a "conversão" do caminho da morte para o caminho da luz devemos viver contentes no Senhor. Cristo venceu por nós! Não é a nossa força, não é o nosso braço, não é a nossa sabedoria humana! É sim, Cristo em nós! Exatamente por isso Paulo disse "tudo posso naquele que me fortalece". Tudo podemos suportar por meio de Jesus Cristo!

O apóstolo Paulo nos ensina nesta palavra que é possível viver contente em toda e qualquer situação. "Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus". (Fp 4.4-7.)
Não são as circunstâncias, mas a fidelidade constante de Deus que nos faz vencedores. Independente do que vivemos agora, devemos nos alegrar considerando a vitória de Cristo na cruz. Considere a palavra que está em I Co 10.13: "Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar". Tire os olhos daquilo que te impede de sorrir e veja o que Deus tem preparado para aqueles que são fieis a Ele. Ouça a voz de Deus, obedeça e frutifique. Creia, Deus tem o melhor para você!





FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

JOVENS

Jovens permaneçam Puros
Como estamos nós hoje? Vivemos em pureza no meio de nossa geração?

                             Jovens permaneçam puros

Nestes dias que o sexo parece ter sido “liberado”, em que há uma excessiva exploração de temas ligado a sexo, em que se pode adquirir contraceptivos com facilidade, em que a sociedade já começa a aceitar mães e pais solteiros, em que o aborto é praticado quase a qualquer momento, e em que os jovens estão cada vez mais convencidos de que é inevitável ter experiências sexuais antes do casamento, é muito fácil desistir de nossos padrões morais.

O que é necessário, então, para que um jovem permaneça puro?

Quero apresentar-lhes um extraordinário rapaz de nome José que se achava noivo de uma jovem admirável, chamada Maria. Certo dia, depois que eles já estavam comprometidos, Deus decidiu que Maria seria a mãe do Salvador Jesus Cristo. Ela iria conceber por uma atuação miraculosa do Espírito Santo, e continuaria virgem enquanto levasse no ventre a criança divina.

Então, José e Maria se mantiveram fiéis ao padrão de pureza determinado por Deus, antes e depois da concepção do Senhor. A Bíblia diz o seguinte: “Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus”. (Mt 1.25).

Isso me deixa maravilhado. Existem aí dois fatos impressionantes: primeiro, o milagre da encarnação divina, e segundo, a maravilha da integridade moral dessa jovem pura e desse homem santo. Como foi que Maria e José mantiveram essa integridade que os qualificou para missão tão honrosa?  Amando Deus e guardando seus mandamentos. Quando eram tentados, eles se firmavam nas verdades espirituais.

Como estamos nós hoje? Vivemos em pureza no meio de nossa geração? Como é que podemos seguir os padrões morais estabelecidos por Deus? Vejamos oito fatores que podem ajudar-nos.

  1. Convencer-se da que a união sexual só pode ser praticada exclusivamente no contexto de um casamento. A cerimônia nupcial é um ato designado por Deus para a consolidação de uma aliança sagrada, e a única via de acesso correta para a união sexual. Um casal só pode gozar das intimidades de um casamento, depois que assumir um compromisso diante de um juiz de paz ou de um ministro eclesiástico para isso autorizado. Tal cerimônia, sendo um ato público, deve ser testemunhada por outras pessoas. Deus também o testemunha. E assim o casal é unido segundo a palavra dada por Deus a Adão e Eva no jardim do Éden: “Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem”. A Bíblia chama a união que um homem e uma mulher praticam antes do casamento de impureza.  E a palavra ordena: “fugi da impureza”. (1 Co 6.18). Diz ainda que “Deus julgará os impuros...”. (Hb 13.4). E após o casamento Deus nos dá a seguinte ordenança: “Não adulterarás”. Adulterar é manter relações sexuais com alguém que não é o seu próprio cônjuge. Esse termo designa também qualquer tipo de impureza. A prostituição , a pratica do homossexualismo e o abuso sexual de crianças estão todos incluídos na categoria de adultério. Para permanecermos puros temos de nos convencer de que a relação sexual deve ser restrita ao casamento, e precisamos nos sujeitar a essa determinação.
  2. Adotar princípios morais absolutos, rejeitando quaisquer outras alternativas. A Bíblia deixa bem claro que não podemos modificar os padrões estabelecidos por Deus. O Senhor inspirou Paulo a que escrevesse o seguinte aos cristãos de Tessalônica, uma cidade onde imperava  imoralidade: “Lembrais com certeza as instruções que então vos dei em nome de Senhor Jesus. O plano de Deus é a vossa santificação, que implica, antes de mais, a abstenção completa de toda a imoralidade sexual. Cada um deve procurar dominar o corpo, conserva-lo puro e trata-lo com respeito, nunca o considerando como um instrumento de prazer e satisfação, tal como fazem os pagãos que não conhecem a Deus. Não podeis violar essa lei, sem de qualquer modo prejudicar ao próximo. E lembrai-vos que Deus punirá todo aquele que pratica ofensas deste gênero, conforme por experiência sabemos, e, alias, já vos preveníramos. Deus chama-nos à pureza completa, e não à impureza. Todo o que não levar a sério essa regra, é ao mandamento de Deus que desobedece, e não às prescrições humanas. Não é em vão que o Espírito d e Deus, que nos é concedido, se chama o Espírito Santo.” (1 Ts 4.2-8 – Cartas as igrejas novas).
  3. Atender às orientações dos pais, que são os que nos conhecem melhor e mais nos amam. Por que os pais aparentemente não confiam nos filhos na questão do namoro? Porque os amam. Todos os jovens ouvem ordens do tipo: “Esteja em casa no máximo até a meia-noite”. “Não; não podem viajar juntos a noite”. “Não traga sua namorada (ou namorado) aqui quando estivermos fora.” Será que essas restrições são tão absurdas assim? Vamos ser francos. Todos nós temos nossos pontos falhos, a respeito dos quais ninguém pode confiar em nós. No meu caso, por exemplo, meus colegas podem confiar em mim quando se trata de dar uma aula, mas não de instalar uma rede elétrica. É que eles se interessam por mim e não querem que eu morra.  Se um casal de namorados começar a se abraçar, se beijar e a tocar um no outro, sua constituição sexual irá ficando carregada com uma energia semelhante à eletricidade, provocando uma necessidade de uma descarga. Sejamos honestos. Quem realmente deseja ter um viver santo não precisa nem se preocupar se os outros confiam nele ou não. Quem é inteligente não confia em si mesmo nessas situações.  O jovem precisa de muita assistência nesta área, inclusive da interferência dos pais. Atenda ao que eles dizem. Eles já passaram por isso e o filho pode confiar neles. Jovem, não exija que seus pais confiem em você; conquiste a confiança deles obedecendo às suas orientações.
  4. Evitar situações nas quais é mais difícil resistir a tentação. Ninguém precisa provar que é forte e se sai bem em qualquer situação. Deve, porém, mostrar que é inteligente evitando aquelas em que sabe que poderá perder o controle. Ficar os dois juntos num lugar romântico, favorável ao aconchego, aumenta a possibilidade de serem dominados por forte desejo sexual. É por isso que Paulo diz aos crentes  de Corinto: “Fugi da impureza!”.  Vejamos outro José ( o do velho testamento). A esposa de Potifar tentou atraí-lo para uma relação adulterina. Contudo ele percebeu suas intenções e sentiu o perigo de expor-se à insistência da mulher.  E quando ela praticamente se entregou a ele, o rapaz disse: “Como, pois, cometeria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” (Gn 39.9b). tencionando manter-se puro, ele não confiou em sua força moral. Fugiu da tentação.
  5. Esforçar para manter uma consciência pura e uma fé forte. Uma consciência pura é um terreno fértil em que a fé pode desenvolver-se. Todavia se desobedecermos a Deus com relação à pureza sexual será impossível termos uma consciência pura. Quem permite que a sua consciência vá sendo maculada, verá declinar a sua fé e sua capacidade de resistir às tentações. Se você pecou e a sua consciência o está incomodando, confesse seu pecado a Deus e abandone essa prática pecaminosa. Cristo o purificará e o libertará. “muito mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo!”(Hb 9.14).
  6. Aprender o verdadeiro significado de amar. Vez por outra ouvimos pessoas explicarem: “ Nós mantemos relações sexuais porque nos amamos”. O casal que da essa desculpa não sabe de fato amar. Na verdade, eles deveriam indagar a si mesmos: “Se eu realmente amasse alguém, será que o levaria a pecar?”. Amar uma pessoa é desejar para ela o mais elevado estado de bem estar que pode existir. Um homem que de fato ama uma mulher procurará protege-la da imoralidade com suas conseqüências funestas. Quem ama de verdade dirá: “não quero que você desobedeça o mandamento de Deus”.
  7. Ter sempre em mira os propósitos de Deus. Deus tem um propósito definido para a vida de cada um de nós, mas para que ele se concretize precisamos estar vivendo santamente. Paulo escreveu o seguinte a Timóteo: “Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar...será utensílio para honra, santificado e útil a seu possuidor, estando preparado para toda boa obra”. (2 Tm 2.21). Deus em sua misericórdia e poder redentor, pode purificar-nos de todo pecado, propiciando-nos uma vida feliz e vitoriosa. Entretanto se você, jovem, tem o habito de praticar atos sexuais , está interferindo no plano e expectativas de Deus tem a seu respeito. Submeta a sua sexualidade ao Senhor Jesus, deixando que ele controle, e o conduza a uma vida de serviço através do qual você também será abençoado e a outros também.
  8. Buscar forças na leitura da palavra de Deus. Certo dia eu preguei sobre a pureza sexual, e citei a grandiosa promessa de 1 Co 10:13: “não nos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar”. Após a reunião, um jovem veio conversar comigo e disse: “Obrigado por essa palavra, pastor. Eu e a minha namorada precisamos modificar algumas coisas em nosso relacionamento”.





FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

FAMÍLIA

O que a humildade não é



1. Não é uma questão de aparência. A soberba mais grave é aquela que se esconde por trás de uma falsa humildade. A humildade é uma virtude para Deus e não para o homem ver.

2. Não é a negação pura e simples de dons, capacitação e virtudes pessoais, mas o sentimento constante da necessidade de Deus para se ter uma vida espiritual saudável, de vitória sobre o pecado e as provações, e cheia de frutos verdadeiros.

3. Não é a mera rejeição de palmas, prêmios e coroas, mas a transferência destas para quem de direito (Ap 4.9-11) ou a prática verdadeira do “soli Deo gloria” (glória somente a Deus).

4. Não é a autodesclassificação, a renúncia da inteligência, sabedoria, experiência, força de vontade, trabalho árduo mas a associação dessas coisas com os recursos que promanam (originam) de Deus.

5. Não é a inatividade, o cruzar dos braços, mas a atividade comandada e alimentada pela sabedoria e providência de Deus.




FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

FAMÍLIA

Muitos nomes e muitos rostos



A soberba tem muitos nomes – altivez, arrogância, exibicionismo, jactância, ostentação, orgulho, pedantismo, pernosticidade, presunção, vaidade, vanglória. E muitos rostos – existe o orgulho do berço nobre, o orgulho do sobrenome famoso, o orgulho da beleza corporal, o orgulho social, o orgulho carismático, o orgulho do exatamente correto, o orgulho pentecostal e até o orgulho da humildade e o “orgulho gay”.

A vaidade é um dos ingredientes mais indesejados e poderosos de pecaminosidade latente. O ser humano nasce e cresce com essa propensão e há de lidar com ela a vida inteira. Pois a cultura secular estimula e favorece a soberba do berço ao túmulo – no lar, na escola e na sociedade.







FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

FAMÍLIA

Nosso Estilo de Vida

O modelo de Jesus deve ser seguido.Mesmo “subsistindo em forma de Deus”, o Senhor se esvaziou, assumiu a forma humana, tomou a posição do servo e foi obediente até à morte e morte de cruz.

Nosso estilo de vida


A prática da humildade é a difícil arte de contenção e privação da soberba existente dentro do coração humano, ansiosa por dominá-lo por meio da autoadmiração, autoelogio, auto-estima, auto-promoção e auto-suficiencia

A dificuldade da humildade decorre do fato de que ela tem de ser autêntica. Não pode ser aparente. Não pode ser fingida. Ou existe ou não existe. Há pessoas soberbas que conseguem dar uma aparência de humildade, o que não tem valor nenhum diante de Deus. Há pessoas verdadeiramente humildes, mais interessadas na humildade interior, que eventualmente podem dar a impressão de que não são humildes. Certamente é o caso do salmista quando diz: “Compreendo mais do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos. Sou mais entendido que os idosos, porque guardo os teus preceitos.” (Sl 119.99-100.) Na verdade, o que o autor faz aí é uma apologia das Escrituras Sagradas, e não de si mesmo. Este é o tema de todo o salmo 119. É preciso tomar muito cuidado com a falsa humildade. A perfeita humildade de Jesus nunca foi sequer arranhada por frases como estas: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu” (Jo 6.51); “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8.12); “Eu sou o bom pastor” (Jo 10.11); “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30); “Eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo” (Jo 12.32); “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.6). São Bernardo tem, pois, toda razão quando define a virtude da humildade como “o mais perfeito conhecimento de nós mesmos”. Por sua natureza, a humildade tem de se alojar primeiro no íntimo para só depois se exteriorizar.





FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

22 março, 2013

CONDIÇÕES PARA SE TER UMA ORAÇÃO RESPONDIDA

1-) PEÇA
Ao orar, um discípulo deve pedir realmente. “Nada tendes, porque não pedis”. (Tg.4: 2)

“Por isso vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á”. (Lc. 11: 9-10)

“Quem dera que se cumprisse o meu pedido, e que Deus me concedesse o que eu anelo”. (Jó 6: 8)

Deus quer nos ensinar, no exercício da oração, pedir e aguardar pelo pedido. Bater na porta e não na parede, onde Deus não responderá. Precisamos ser específicos na oração. Muitos podem orar por semanas, sem ter contudo pedido uma única coisa. Somente aprendendo a orar especificamente podemos ter experiência específicas para enfrentar dificuldades específicas.

2-) NÃO PEÇA MAL
“Pedis, e não recebeis, porque pedis mal”. (Tg. 4:3)
Os homens podem pedir a Deus com base nas suas necessidades, mas não devem pedir sem razão ou acima de suas necessidades. Deus apenas suprirá a nossa necessidade e nos dará aquilo que é necessário. Muitas vezes, entretanto, Deus realmente nos concede excessiva e abundantemente mais do que tudo que pedimos. Enfim, pedir mal  é exceder o limite da nossa real necessidade.

3-) O PECADO DEVE SER TRATADO
O pecado pode se tornar um obstáculo que impede nossas orações de serem respondidas ou atendidas por Deus.
(Sl. 66:18) “Se eu no coração contemplar a iniqüidade, o Senhor não me ouvirá”.
O que significa contemplar a iniquidade? Simplesmente que em seu coração há um pecado que não está disposto a abandonar. O homem de Romanos 7 é bastante diferente. Ele declara que o que ele faz é algo que odeia. Não há nenhum valor em estarmos libertados do pecado externamente e ainda permanecermos interiormente ligados a ele.
(Pv. 28:13) “O que encobre as suas transgressões, jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”.

Alguém deveria ir ao Senhor dizendo: Aqui está um pecado que meu coração realmente contempla e acha difícil de deixar, mas agora eu peço o Teu perdão. Estou desejoso de deixá-lo; peço-Te que me libertes dele de modo que não permaneça comigo. Eu não o quero e o resisto. O Senhor passará por cima do seu pecado se você o confessar diante dEle.

4-) VOCE PRECISA CRER
“Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco”. (Mc. 11: 24)
Essas palavras de Jesus nos falam do poder da fé, que Ele quer imprimir em nossos corações. Pedir alguma coisa, já crendo que recebemos sem termos recebido nada. Fé é uma pessoa crer que ela recebe aquilo pelo que ora.
“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”. (Hb. 11: 1)
O Senhor Jesus nunca associa a fé com o receberá. Mas nós mudamos a fé do recebestes para o receberá. Portanto, fé é chegar ao ponto de poder proclamar que Deus já ouviu a oração.

5-) CONTINUE ORANDO
(Lc.18: 1) Na parábola do juiz iníquo, Jesus nos ensina sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer. Orações que requerem persistência. Devemos continuar orando até que o Senhor esteja esgotado, por assim dizer, ao irmos continuamente a Ele. Isso não é sinal de descrença, mas, simplesmente, outro tipo de fé: “Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará porventura fé na terra”? Disse o Senhor. Esse é o tipo de fé que crê que, através da oração persistente, Deus finalmente responderá, com ou sem uma promessa prévia.

PORQUE DEVEMOS ORAR?
Por que Jesus em seu ministério terreno nos deu o exemplo do que é alguém realmente compromissado com a oração. Toda ação do Nosso Senhor Jesus era fruto de oração. Toda realização do Seu ministério era precedido da direção do Espírito em obediência a uma palavra do Pai. (Jo. 12: 49)

“Porque eu não tenho falado de mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, Esse me tem prescrito o que dizer e anunciar”.

“...Jesus está à direita de Deus e também intercede por nós” (Rm. 8:34)

“É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus... “ (Jo. 17: 9)

“Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartira Ele o despojo, porquanto derramou sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu”. (Is. 53: 12)

“Multidões afluiam para o ouvirem e serem curadas de suas enfermidades, Ele, porém, se retirava para lugares solitários e orava”. (Lc. 5: 15 e 16)

“Naqueles dias, retirou-se para os montes, afim de orar, e passou a noite orando a Deus”. (Lc. 6: 12)

“Estando Ele orando a parte…” (Lc. 9: 18)

“…tomando Pedro, João e Tiago, subiu ao monte com o propósito de orar”. (Lc. 9: 28)

“Ele, por sua vez, se afastou, cerca de um tiro de pedra, e, de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres passa de mimeste cálice, contudo não se faça a minha vontade, e sim a Tua”. (Lc. 22: 41 e 42)

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. (Lc. 23: 34)

O último clamor: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”.



POR QUEM ORAR?

. Todos os filhos de Deus devem orar diariamente pelas pessoas do mundo, para que sejam salvas.

. Pedir a Jesus, Senhor da Igreja, que Ele conceda graça, dons e vida ao Corpo.

. Orar pelo país em que vivemos para podermos levar uma vida tranquila e mansa, em toda piedade e pureza.

. Orar pelas nações, pelos enfermos e abatidos.

. Orar pelos irmãos perseguidos para que Deus mude o coração de governantes das nações opressoras.

(I Ts.5: 16-18) – “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo daí graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”.





FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

Existem 2 inimigos nas nossas vidas

1º O nosso eu
O nosso eu é um ídolo quando nos amamos
A soberba proceda a ruína
O orgulho nos leva a destruição e a desgraça
Quando nós deparamos com alguma situação do nosso irmão e gera um sentimento em nós de preservação isso demonstra o nosso orgulho

Precisamos tomar cuidado com o nosso maior inimigo (eu mesmo)
A nossa natureza humana é terrível sempre querendo ser um deus

Precisamos nos humilhar
Como nos humilhamos?
Reconhecendo que não somos nada e nos humilharmos diante do único DEUS verdadeiro.

O nosso eu precisa ficar no lugar que é devido a ele “ A Cruz

Jeremias 17:5 – maldito o homem que confia no homem...

O nosso 2º inimigo é o diabo
Ele já esta derrotado
Ele não pode nos tocar
I Jo 5: 18 ¶ Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca.

Em Cristo somos mais que vencedores

Que a nossa atitude seja todos os dias a mesma de JESUS e assim teremos vitória sobre os nossos 2 inimigos

Fil. 2: 5  Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;
7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,
 8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.



FONTE SITE IGREJA EM SAO VICENTE.

Revelações e advertências notificadas a João (2)

Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra. Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa (Ap 3:10-11)


Mt 13:45-46; Ap 3:1-3; 3:8


Como vimos, as revelações divinas foram esquecidas pelos cristãos, e o acesso às Escrituras ficou restrito às autoridades eclesiásticas. Somente cerca de mil anos depois, no século XVI, após perceber que muitos ensinamentos da igreja estavam relacionados à tradição humana e não à Palavra de Deus, Martinho Lutero publicou noventa e cinco teses, nas quais refutava muitas práticas e ensinamentos oriundos de Roma. Uma das verdades bíblicas que foi restaurada por ele é a da justificação pela fé em Cristo e não por obras feitas pelos homens.

Além disso, Lutero também traduziu a Bíblia, e, logo depois, com a invenção da imprensa, mais pessoas, além do clero, tiveram acesso à Palavra de Deus. Esse período é representado pela igreja em Sardes que significa restauração. Embora essa igreja tenha recebido a revelação das verdades, não demorou muito para perderem o mais importante, o que é essencial: a realidade que vem pela vida divina. Por isso o Senhor a advertiu, dizendo: “Tens nome de que vives e estás morto” e “não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus” (Ap 3:1-2). Por causa de estudos e análises dos textos bíblicos, surgiram várias interpretações e novas doutrinas, que produziam discussões, em vez de promover a economia de Deus na fé (1 Tm 1:4). Isso é a característica de quem vive segundo a vida da alma, e não segundo o Espírito.

Como resultado, ao longo dos séculos, os cristãos têm-se dividido. Igrejas estatais e diversas denominações surgiram e logo, gradualmente, a prática da revelação da Palavra de Deus foi novamente abandonada. Alguns passaram a exercer seus ministérios particulares, dando mais ênfase ao que consideravam ser doutrinas fundamentais, e outros a valorizar mais as manifestações exteriores do Espírito.

Graças ao Senhor, o Espírito reagiu, e, por meio da revelação dada à igreja em Filadélfia, vemos que o Senhor valoriza muito o Seu nome e a prática de Sua palavra: “Guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome” (Ap 3:8). O significado de Filadélfia é amor fraternal. Por tomarem a Palavra no espírito, eles não perderam tempo discutindo ou analisando as verdades; eles as praticaram. Assim a vida de Deus neles cresceu e se manifestou na forma de amor entre os irmãos. Isso fez deles uma pérola de grande valor, como descrito em Mateus 13:45-46. Como a igreja em Esmirna, os que seguem o caminho de Filadélfia também têm a promessa do galardão: “Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” (Ap 3:11).

Para a igreja em Laodiceia, porém, o Senhor vem mostrar a necessidade de se humilhar, pois ela se considera abastada, isto é, acha que não precisa da ajuda de ninguém, não vendo assim, sua própria condição (vs. 17-18). Enquanto Esmirna era pobre, mas foi considerada rica pelo Senhor, Laodicéia se considerava rica, mas o Senhor expôs sua pobreza, cegueira e nudez. Por ser morna, a ponto de ser vomitada de Sua boca, Ele a chama ao arrependimento (v. 19). Essa é a misericórdia de Deus!

Que possamos deixar as complicações da mente caída e todo orgulho a fim de andar no caminho que agrada a Deus e traz o Seu reino: praticar a Palavra e invocar o nome do Senhor!






Alimento Diário - O ministério que seguimos e praticamos
Escrito por Dong Yu Lan 



www.radioarvoredavida.com

17 março, 2013

AOS JOVENS

Filho de quem?

Quem já passou, ou está passando, pelo ensino médio deve lembrar-se de Fibonacci, matemático italiano do século XIII que idealizou a célebre “seqüência de Fibonacci”. Essa seqüência é figura marcada nas lições de progressão, da matemática, nas classes de reprodução celular, da biologia, e podem ainda aparecer em alguma aula de ondulatória, de um professor de física mais criativo. É interessante, porém, que o verdadeiro nome do matemático, registrado em sua obra “Liber Abaci”





Aos Jovens



www.radioarvoredavida.com

AOS JOVENS

Uma história diferente

Os jovens vivem hoje um contexto paradigmático: por um lado, a sociedade da informação, a sociedade globalizada, iconizada na pessoa do jovem, é cada vez mais socialmente consciente, atuando positivamente em favor da preservação ambiental, do crescimento sustentável, dos regimes de igualdade, justiça e desenvolvimento humano. Por outro lado, os mesmos mecanismos de socialização, os mesmos instrumentos de comunicação que tornam o mundo globalizado.




Aos Jovens



www.radioarvoredavida.com

AOS JOVENS

Alcançando o índice

Hoje, um grupo de vencedores está sendo preparado. São pessoas sob um treinamento intenso e, por vezes, duro. Talvez em sua escola haja vários deles, também em sua família e, com certeza, você é um deles. Jovem cristão, você é um representante da família e do povo de Deus. Ele conta com você para participar de uma prova que não apenas resultará em prêmio e coroação para aquele que vencer, mas também afetará para sempre a história do universo.




Aos Jovens



www.radioarvoredavida.com

MEDITANDO

Como resolvemos nossos problemas?

O homem caído tem dificuldades para se envolver com as coisas de Deus (Mateus 26:36-45). Somos fortes demais para algumas coisas, mas muito fracos para outras. Quando o Senhor Jesus estava prestes a ir para a cruz, Ele chamou Seus mais íntimos discípulos para orar. Ele queria escoar um pouco Sua tristeza pela oração, queria sentir Seus principais discípulos a Seu lado. Ele imaginou que pudesse contar com Pedro e com os dois filhos de Zebedeu (Tiago e João).





Para Meditar



www.radioarvoredavida.com